Postagens Recentes

sexta-feira, 2 de maio de 2008

A verdadeira morte de Isabella

Isabella Nardoni não foi assassinada: ela se matou !


Segundo os advogados de defesa, juntamente com os demais envolvidos no caso, Isabella era um pequeno demônio encarnado entre pessoas de luz. Isabella era uma espécie de "Bebê de Rosemary" que se matou para incriminar o pai e a madrasta, além de atormentar a vida da mãe, dos avós, tios, primos e todas as criancinhas com pais separados !



Isabella se jogou de cabeça nas chaves da casa e machucou a testa. Sangrando, se debateu no banco de trás do carro para deixar manchas de seu sangue.

Chegando no aptº, Isabella obrigou o pai a carrega-la e dava gargalhadas enquanto se debatia, fazendo sua madrasta a segurar mais forte para que não se machucasse. Em dado momento, Isabella segurou as mãos da madrasta contra seu pescoço e sufocou, desmaiando.

O pai, Alexandre, desesperado, tentou reanimar Isabella ao que Pietro, o irmão menorzinho, gritava desesperado:

- Pára, pai ! Pára ! Pára ! Pai, pára !

Pietro não queria que Isabella acordasse. Queria aquele demônio fosse expulso da casa. Porém, Isabella acordou e correu para a janela. Cortou a tela de proteção e se dependurou para se atirar.
O pai, enlouquecido e sem acreditar na possessão diabólica numa criancinha de 5 anos, tentou segura-la e evitar o pior, mas o pior aconteceu: o corpo de Isabella despencou do sexto andar.

Isabella morreu. Seu pai e sua madrasta foram incriminados. Sua mãe ficou condenada à tormenta eterna. Seu avô vai perder uma grana preta com advogados, sua tia ficou taxada de louca e mentirosa, seus avós maternos de insensíveis...

Deve ter sido assim, segundo os espíritos de luz que conviveram por cinco longos anos com Isabella...

Um comentário:

Kanako disse...

Pobre casal Nardoni. isuhaisasaiu

Moço, não sei se o blogger avisa comentário, então vou avisar eu mesma: comentei no post sobre o Nordeste independente. :)

Beijos